As 20 piores cinebiografias de artistas e bandas já feitas, segundo site

Apesar do recente sucesso de Rocketman e Bohemian Rhapsody, as cinebiografias nem sempre são bem-feitas

Redação Publicado em 16/01/2020, às 16h27 - Atualizado às 16h46

None
Cena da cinebiografia do The Doors, lançada em 1991 (Foto: Reprodução)

Apesar dos fãs saberem praticamente tudo da vida de seus ídolos, o conhecimento dos seguidores não impediu a filmagem de diversas cinebiografias - muitas delas extremamente mal-feitas.

+++LEIA MAIS: Amy Winehouse, Bob Dylan e mais: 8 cinebiografias em produção após o sucesso de Bohemian Rhapsody

John Lennon, The Doors e os Rolling Stones não escaparam de terem suas vidas apresentadas nas telonas - mesmo que em produções ruins e com pesquisa precária. Confira a lista do Louder das 20 piores cinebiografias já feitas: 

John & Yoko: A Love Story (1985)

Peter Capaldi interpretou Lennon em John & Yoko: A Love Story, um desperdício de três horas. 


La Bamba (1987)

Lou Diamond Phillips interpretou o roqueiro latino Ritchie Valens em uma ficção descaradamente excessiva e nada parecida com o músico.

+++LEIA MAIS: Timothée Chalamet negocia para viver Bob Dylan no cinema


Great Balls Of Fire! (1989)

Dennis Quaid interpretou o selvagem homem do rock Jerry Lee Lewis em uma atuação que - no mínimo - deixa muito a desejar.


The Doors (1991)

Fã confesso, Oliver Stone dirigiu a cinebiografia do The Doors com um Jim Morrison bombástico e filósofo enquanto o resto da banda parece não estar lá.

+++LEIA MAIS: Marilyn Manson faz cover sombrio de "The End", clássico do The Doors; ouça


Daydream Believers: The Monkees’ Story (1998)

Um roteiro ridículo e desajeitado tentou - e certamente não conseguiu -  dar conta da história dos The Monkees.


The Rat Pack (1998)

Frank Sinatra morreu três meses antes do lançamento da sua cinebiografia e não precisou sentir desgosto pela produção. 


The Beach Boys: An American Family (2000)

Impedidos de ter acesso às gravações dos Beach Boys, os produtores do filme optaram por longos diálogos e vários clichês.

+++LEIA MAIS: Depois de Bohemian Rhapsody, Elton John é celebrado no Globo de Ouro 2020 e mostra que Hollywood ama cinebiografias


Meat Loaf: To Hell And Back (2000)

W Earl Brown não conseguiu esconder a timidez, e mostrou ao público uma versão não muito realista do músico.


Hysteria: The Def Leppard Story (2001)

A produção inverteu a história sobre o acidente de carro do baterista Rick Allen. Além disso, Joe Elliott é encarnado por Orlando Seale em uma interpretação sem vida e pouco sensível.


My Dinner With Jimi (2003)

Apesar do nome, o longa trata-se de uma cinebiografia intencional e alegre da febre dos anos 1960, os The Turtles. Apesar do roteirista Howard Kaylan ter realmente jantado com Jimi Hendrix, a maioria dos eventos abordados são puramente ficção. 

+++LEIA MAIS: Brian May elogia Rami Malek por detalhe de Freddie Mercury em Bohemian Rhapsody


Beyond The Sea (2004)

O diretor, roteirista e produtor Kevin Spacey interpretou Bobby Darin mesmo sem parecer com o músico e ter o dobro da idade dele quando estava no auge da carreira. Nada mais precisa ser explicado. 


Stoned (2005)

O filme, cujo final é totalmente sem direção, tenta esclarecer a morte de Brian Jones, fundador dos Rolling Stones.

+++ LEIA MAIS: Ronnie Wood explica por que os Rolling Stones são "simplesmente indestrutíveis"


Worried About The Boy (2010)

As inseguranças e os demônios internos de Boy George são expostos neste sério drama de TV, com flashes de humor inadequados e diálogos bregas.


Killing Bono (2011)

A confusa produção conta a história dos irmãos de Dublin que quase se juntaram ao U2, mas fracassaram com sua própria banda. Discrepâncias exageradas e irritantes na linha do tempo impossibilitou avaliações positivas.  

+++ LEIA MAIS: Por que Bono, vocalista do U2, sempre usou óculos de sol?


Greetings From Tim Buckley (2012)

O filme, interpretado por Penn Badgley(You), mostra um Jeff Buckley com uma raiva cartunesca na véspera de um concerto em homenagem a seu falecido pai, Tim Buckley.


CBGB (2013)

É difícil assistir Alan Rickman, de rosto áspero, como Hilly Kristal, músico e dono de um famoso clube de Nova York, o CBGB, mas é isso que acontece na produção.


Phil Spector (2013)

O filme conta a história real do produtor musical Phil Spector, interpretado por Al Pacino em uma atuação totalmente fora de contexto. 

+++ LEIA MAIS: Al Pacino revela estrelar em filmes ruins para que eles "fiquem melhores"


Jersey Boys (2014)

Algo que seria um musical perfeitamente retável perdeu o rumo quando inseriu parcelas de veracidade questionável dos Sopranos-Lite


Elvis & Nixon (2016)

O icônico conflito do Elvis com o presidente, em 1970, é reimaginado com uma grande quantidade de capricho e farsa.

+++ LEIA MAIS: Elvis Presley detestaria selfies, mas amaria tecnologia, imagina viúva Priscilla


Nina (2016)

O relato da vida conturbada de Nina Simone fez diversas pessoas se sentirem mal após irem aos cinemas. O filme gerou diversas críticas, como "lamentável", "desagradável", "completamente mal-entendida" e "péssimo".


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'