John Lennon escreveu música para confundir os fãs dos Beatles no White Album - e tudo bem ainda ficar confuso 50 anos depois

Vários fãs da época estudavam os trabalhos do Fab Four minuciosamente

Redação Publicado em 07/08/2020, às 11h12

None
John Lennon (Foto: AP)

Durante todo período nos Beatles, John Lennon causou bastante entre os fãs da banda. O Fab Four fez de tudo para conquistar fama. Quando atingiram essa meta, eles aceitaram o papel de estrelas do rock, a maioria ficou mais atencioso, já Lennon continuou um tanto quanto rebelde, de certa forma, tanto que ele escreveu música para confundir os fãs do grupo no White Album. A informação é da Far Out Magazine.

O cantor fez isso porque, naquela época, quando eles viraram ícones, muitos e muitas fãs passavam a estudar sobre a banda. Como não existiam redes sociais, várias pessoas procuravam detalhes escondidos sobre os Beatles em músicas e discos.

+++LEIA MAIS: James Hetfield admite ‘birra’ com Jon Bon Jovi: ‘Enganador’

Claro, John Lennon sabia que as pessoas faziam isso e, no icônico disco duplo White Album, ele decidiu colocar elementos para confundir os apaixonados pelo Fab Four. O músico encheu uma música de informações falsas ou intrigas deliberadas, o que tornou o trabalhou m clássico dos Beatles. A obra em questão é "Glass Onion".

Como lembrado pela Far Out, Lennon, não gostava de pessoas interpretando o trabalho dele e decidiu escrever uma música que deixasse os fãs em um loop e fizesse referência a várias outros trabalhos dos Beatles ao mesmo tempo. A música faz referência a "I Am The Walrus", "Strawberry Fields Forever", "Lady Madonna", "The Fool On The Hill" e "Fixing A Hole".

A música oferece uma visão psicodélica dos trabalhos anteriores dos Beatles. Mas, segundo John Lennon, era muito simples que isso. "Sou eu, apenas fazendo uma música descartável, à la 'Walrus', à la tudo o que já escrevi", revelou o artista (via Far Out).

+++LEIA MAIS: Por dentro dos primeiros shows do Joy Division - e o início do fim de Ian Curtis

Em uma música tão viajada, haveria algumas referências não intencionais e os fãs as notaram imediatamente. Logo, a idéia de que o cantor tentava esconder dos fãs sobre as lutas da vida dele - e a imponente imagem de Paul McCartney - prevaleceu e as interpretações de quem realmente era "The Walrus" vieram à tona. Em vez de dissipar qualquer teoria, Lennon a reforçou com "Glass Onion".

"Eu desenhei a linha - 'The Walrus' era Paul - só para confundir todo mundo um pouco mais", disse John Lennon em conversa com o escritor David Sheff. "E eu pensei que 'Walrus' agora se tornou eu, significando 'Eu sou o único'. Só que esse não era o significado nessa música. Poderia ter sido 'o fox terrier é Paul', você sabe. Quero dizer, é só um pouco de poesia. Foi apenas jogado assim".

+++LEIA MAIS: Professora ensina yoga ao som de black metal - e é genial; conheça

Ele continuou: "Bem, isso era uma piada". No entanto, ia muito além de uma brincadeira. "O verso foi colocado em parte porque eu estava me sentindo culpado porque estava com Yoko e estava deixando Paul", revelou. "Eu estava tentando - eu não sei. É uma maneira muito perversa de dizer a Paul, você sabe: 'Aqui, tenha essa migalha, essa ilusão - esse derrame, porque eu estou indo embora'".


+++RAP, FUNK E PAGODE NA ENTREVISTA COM OROCHI: 'SOU ESSA MISTURA LOUCA' 


+++ PLAYLIST COM CLÁSSICOS DO ROCK PARA QUEM AMA TRILHAS SOBRE DUAS RODAS