Mick Jagger reflete sobre vacina, teorias da conspiração e pandemia em 'Eazy Sleazy', música em parceria com Dave Grohl; ouça

Em entrevista à Rolling Stone EUA, o vocalista dos Rolling Stones falou sobre a canção e a pandemia, além de criticar o governo de Trump

Redação Publicado em 13/04/2021, às 15h03

None
Mick Jagger, dos Rolling Stones (Foto: Vit Simanek / AP Images) | Dave Grohl (Foto:Rudi Keuntje / Geisler-Fotopress / Alliance / DPA/ AP Images)

Mick Jagger estava em casa refletindo em meio ao caos mundial devido à pandemia de coronavírus quando teve uma ideia para uma nova música: "Foi um momento introspectivo para mim", disse o músico dos Rolling Stones à Rolling Stone EUA.

O resultado: "Eazy Sleazy", uma faixa em parceria com Dave Grohl que aborda tragédias, absurdos, teorias da conspiração e esperança - tudo o que Jaggerobservou ao longo do último ano. A canção está disponível ao final do texto.

+++ LEIA MAIS: O dia em que Mick Jagger protestou contra a Guerra do Vietnã - e a experiência resultou no hit 'Street Fighting Man' [FLASHBACK]

Após escrever a letra e desenhar a estrutura da melodia, o vocalista dos Rolling Stones enviou uma demo ao líder do Foo Fighters. "É difícil colocar em palavras o quanto gravar essa música com Sr. Mick significou para mim", explicou Grohl à Rolling Stone EUA.

Com isso, os dois compartilharam ideias e passaram o último mês pensando sobre a canção. Mick Jagger ficou responsável pelos vocais e guitarra, enquanto Grohl pelo baixo, bateria e também guitarra. Por fim, a faixa foi produzida por Matt Clifford.

+++ LEIA MAIS: Filho caçula de Mick Jagger impressiona fãs pelo 'bocão' igual do pai

Extremamente política, a canção discute sobre vacinas, pandemia e a diferença entre as administrações de Trump e Biden nos Estados Unidos. "É uma reflexão sobre o ano passado; todas as tensões físicas e mentais impostas à sociedade. Durante todo o ano, estivemos fazendo isso e passando por diferentes emoções. [...] É muito difícil para as pessoas terem que suportar tudo isso", conta Mick Jagger.

"O primeiro verso é sobre como o começo [da pandemia] foi horrível e era difícil acreditar que as pessoas estavam morrendo. Foi chocante. Todas as pessoas no governo falavam bobagens e mudavam de ideia a cada cinco minutos. Na Inglaterra, foi uma bagunça e sob a administração Trump, ele disse todo tipo de bobagem", complementa.

+++ LEIA MAIS: Como os Rolling Stones queriam ganhar R$ 68 milhões com o suicídio de L'Wren Scott, namorada de Mick Jagger?

Mick Jagger também achou importante falar sobre teorias da conspiração devido à falta de compreensão das pessoas, inclusive aquelas que estão ao redor dele, sobre determinados assuntos: "São simplesmente irracionais".

Preocupado ao ver muitas pessoas com um discurso anti-vacina, o músico também achou importante abordar a temática na canção: "Depois de um tempo, algumas pessoas talvez mudem de ideia sobre isso".

+++LEIA MAIS: O dia que Mick Jagger ameaçou matar técnico de baixo em pegadinha

De qualquer maneira, porém, a música traz uma mensagem otimista. Ao ser questionado sobre a esperança, Jagger afirmou: "Cada país é diferente, mas vejo a quantidade de vacinas [aumentando] [...] Parece haver, agora, uma luz no fim do túnel em vários países. [...] Espero que este seja o começo de um pouco mais de liberdade."

Na entrevista, o músico também criticou o governo de Trump nos Estados Unidos ao dizer que "era como passar de uma semana para outra sem saber o que fazer". Segundo Jagger, "não havia planos para nada", mas "Trump pelo menos apostou em todas essas vacinas  o que foi uma coisa boa". Com Biden, o astro tem um certo otimismo de que "há objetivos de longo prazo".

Ouça "Eazy Sleazy":


+++ LAGUM | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL


+++SAIBA MAIS: As 6 melhores músicas de Kurt Cobain [LISTA]

No dia 5 de abril de 1994, o lendário e inesquecível vocalista do Nirvana, Kurt Cobain, se suicidou aos 27 anos com um tiro na cabeça em Seattle, Washington, Estados Unidos. Desde então, deixou saudades eternas.

Marco para o grunge, músico fascinante, artista memorável e um dos principais nomes da música, Kurt Cobain fez história ao longo da carreira, principalmente acompanhado do Nirvana

+++LEIA MAIS: 10 curiosidades sobre Kurt Cobain que você - provavelmente - não sabia [LISTA]

As canções compostas pelo vocalista para o grupo relembram o quão importante e fantástico ele foi para a história da música. Faixas impecáveis como "Come As You Are", "All Apologies" e "Drain You" dificilmente serão esquecidas.

Para relembrar a grandiosidade do lado artístico de Kurt Cobain com o Nirvana, a Rolling Stone EUA listou as 6 melhores músicas da carreira do vocalista com a banda. Confira a lista:

+++LEIA MAIS: Nirvana quase se chamou Skid Row antes de escolher nome oficial; entenda


6 - All Apologies

Uma grande canção da discografia da banda, "All Apologies" apareceu originalmente no disco In Utero (1993). No entanto, a versão mais lembrada, e possivelmente querida pelo público, é a gravação de novembro de 1993 para o MTV Unplugged

+++LEIA MAIS: Como foi a passagem do Nirvana pelo Brasil em 1993: noite com João Gordo e caos no palco; assista ao show completo


5 - Drain You

O Nirvana escreveu muitas das canções do Nevermind (1991) antes de gravar o disco, mas a Rolling Stone EUA lembra que "Drain You" foi composta durante as sessões. Kurt Cobain nunca revelou quem inspirou a canção de amor, porém, foi escrita apenas três meses após ele conhecer Courtney Love.

Com certa frequência, Kurt afirmava ser uma das músicas favoritas dele da discografia da banda, e eles a tocaram basicamente em todos os shows nos últimos três anos de atividade enquanto grupo.

"Penso que há tantas outras canções que escrevi e são tão boas [como 'Smells Like Teen Spirit']. Como 'Drain You'. Eu amo a letra e nunca me canso de tocá-la. Talvez se fosse tão grande quanto 'Teen Spirit', eu não gostaria tanto", contou à Rolling Stone em 1993.

+++LEIA MAIS: O dia em que Kurt Cobain teve overdose de heroína antes de tocar no Saturday Night Live [FLASHBACK]


4 - Come As You Are

Kurt Cobain era um grande fã dos Pixies e nunca escondeu isso. Muitas vezes, o músico  recorria ao método de composição usado pela banda. "Estou ficando tão cansado dessa fórmula. Nós dominamos isso", disse à Rolling Stone em 1993.

Segundo a Rolling Stone EUA, porém, um dos melhores exemplos da fórmula é "Come As You Are", o segundo single de Nevermind(1991). Para a RS EUA, a versão do Unplugged é particularmente poderosa, e o refrão continua assustador.

+++ LEIA MAIS: Fotógrafo encontra imagens inéditas de um dos primeiros shows do Nirvana no Reino Unido


3 - Heart-Shaped Box

Em uma entrevista de 1994 à Rolling Stone,Courtney Love lembrou-se de ter ouvido o processo de composição de "Heart-Shaped Box": "Tínhamos um armário enorme. E eu o ouvi lá trabalhando em 'Heart-Shaped Box'. Ele fez isso em cinco minutos."

Kurt Cobain começou a trabalhar na música no início de 1992, e a canção foi a escolhida como primeiro single de In Utero(1993). A Rolling Stone EUA lembra que o disco foi produzido por Steve Albini, e a gravadora temeu não ser comercial o suficiente, e Scott Litt foi chamado para remixar a faixa. 


2 - Smells Like Teen Spirit

"Smells Like Teen Spirit" foi a canção que trouxe toda a atenção mundial para o Nirvanae deu início a uma nova era da música - e é um dos principais hits da história. "Eu estava tentando escrever uma música pop", disse o vocalista à Rolling Stone em 1993.

"Todo mundo se concentrou tanto nessa música e o motivo pelo qual ela teve uma grande reação é que as pessoas a viram na MTV um milhão de vezes", contou o artista na mesma entrevista.

+++LEIA MAIS: Quantos anos tinha Kurt Cobain quando escreveu 'Smells Like Teen Spirit'?


1 - Lithium

Não, a Rolling Stone EUA não escolheu "Smells Like Teen Spirit" para o primeiro lugar deste ranking. Segundo a revista, o terceiro single de Nevermind(1991) merece a colocação.

"Lithium" é uma música sobre um cara que passa a se dedicar à religião depois da morte da namorada. Isso o acalma, muito parecido com uma dose de lítio real. É uma incrível música e um dos principais destaques na discografia do Nirvana

+++LEIA MAIS: Dave Grohl diz que Kurt Cobain foi 'o maior compositor de sua geração'