7 filmes de ação mais inteligentes que Rambo

De Matrix a Kill Bill, listamos os filmes que divertem e fazem pensar ao mesmo tempo

Vinicius Santos Publicado em 28/09/2019, às 11h30

None
Kill Bill, Matrix e Exterminador do Futuro: O Julgamento Final (Foto: Montagem)

Filmes de ação em geral possuem enredos simples, mocinhos e vilões, violência e roteiro pouco complexo. Não há nada de errado nisso. Rambo: Até o Fim tem todos esses elementos, mas sofreu várias críticas por falta de profundidade no enredo e violência exagerada sem contexto.

Um filme de ação deve entreter o espectador, mas quando ele também encoraja o público a pensar, une o melhor dos dois mundos. Diverte, ao mesmo tempo que ensina, é catártico, mas também pode provocar reflexões. Rambo: Programado para Matar (1982) possui essas qualidades, coisa que o quinto filme da franquia falhou em ter.

Para você que quer relembrar filmes de ação inteligentes antes de decidir gastar com um que talvez não valha a pena, listamos aqui algumas produções consagradas que irão te divertir e fazer pensar ao mesmo tempo.


Alita: Anjo de Combate


Foto: Reprodução Fox

Alita: Anjo de Combate (2019) é baseado em um mangá, ou seja, uma história em quadrinhos japonesa. Dirigido por Robert Rodriguez (de Um Drink no Inferno, de 1996) e produzido por James Cameron (de Avatar (2009), Titanic (1997),Exterminador do futuro (1984) e outros).

O longa conta a história de uma garota ciborgue que desperta sem memória e precisa lutar para descobrir quem foi no passado e quem será agora. Além de contar com uma protagonista feminina forte, carismática e que não recorre a estereótipos, a produção ainda possui um bom elenco e combates eletrizantes.

Vale lembrar que a própria Alita é uma personagem 100% digital, que interage com atores reais em cena e é tão bem-feita que faz o espectador duvidar se é mesmo feita em computação gráfica.


Kill Bill (Volumes 1 e 2)


Foto: Reprodução MIRAMAX

Ainda na linha das protagonistas femininas, Kill Bill - Volume 1 (2003) e Kill Bill - Volume 2(2004), Quentin Tarantino trouxe Beatrix Kiddo, "A Noiva", uma assassina que buscava uma vida tranquila com a filha que estava prestes a nascer quando é atacada e deixada em coma pelo ex-chefe e amante, Bill.

Quatro anos depois, a personagem de Uma Thurman desperta do coma e parte em busca de vingança. Tarantino deixou uma contribuição com a marca autoral ao gênero de ação e combina técnicas de filmes japoneses e de faroestes para contar a narrativa de uma mulher empoderada que supera um relacionamento abusivo.


A Origem


Foto: Reprodução Warner Bros.

Christopher Nolan também contribuiu com um tipo bem específico de filme de ação, o de assalto, e ainda incrementou a receita com elementos de ficção científica. O resultado final foi A Origem (2010). Leonardo diCaprio é o protagonista Don Cobb, um espião corporativo especializado em se infiltrar nos sonhos dos alvos e roubar informações vitais para a guerra financeira entre as pessoas.

A jogada de Nolan foi usar os conhecimentos gerais sobre dormir e sonhar para criar cenas de ação ambiciosas e questionamentos filosóficos sobre o processo de criação da mente. Tudo isso com um elenco muito carismático, como nomes como Ellen Page, Tom Hardy, Michael Caine e Joseph Gordon-Levitt, além do próprio diCaprio.


Matrix


Foto: Reprodução Warner Bros.

Quando se trata de filmes de ação, é impossível não citar Matrix (1999), que revolucionou o gênero. O astro Keanu Reeves é Neo, um hacker numa jornada para descobrir que o mundo no qual vivemos não passa de uma simulação feita para escravizar a humanidade, e decide se rebelar contra as máquinas.

A obra-prima das irmãsLana e Lily Wachowski criou tendências que duram décadas no gênero (cenas com câmera lenta, artes marciais e armas de fogo juntas), além de conter questões filosóficas importantes sobre a percepção, como a alegoria da caverna, de Platão, e fez todos acharem que viviam em uma realidade virtual.


JohnWick


Foto: Reprodução Summit Entertainment

Novamente com Keanu Reeves nesta lista. Em 2014, ele se lançou na franquia John Wick, que conta a história de um ex-assassino de um submundo do crime, que é puxado de volta ao jogo após a morte brutal do cachorro dele pelo filho de um chefão da máfia russa.

O destaque da franquia se dá pelo comprometimento de Keanu aos filmes. O ator treinou ostensivamente para dar autenticidade e uma certa dose de realismo ao manejo da armas de fogo (técnica que Reeves e o diretor Chad Stahelski chamam de “Gun-Fu”) e pelo universo lúdico que cria uma sociedade de criminosos muito divertida de se assistir.


Exterminador do Futuro 2 - O Julgamento Final


Foto: Reprodução Tristar Pictures

James Cameron também retorna para esta lista com o segundo filme da franquia Exterminador do Futuro, que mostra um John Connor adolescente sendo perseguido pelo temível robô de metal líquido T -1000. O modelo T - 800, de Arnold Schwarzenegger, que no primeiro filme tentou matar a mãe de John, Sarah Connor, é designado para proteger o garoto.

Cameron comanda sequências de perseguição e tiroteios com vários cortes ágeis e precisos, que em 20 anos não envelheceram. Fica também o destaque para Linda Hamilton, como Sarah Connor.


O Tigre e o Dragão


Foto: Reprodução Columbia Pictures

O primeiro filme de artes marciais do cineasta taiwanês radicado nos Estados Unidos Ang Lee (diretor de O Segredo de Brokeback Mountain, de 2006 e As Aventuras de Pi, de 2013), OTigre e o Dragão foi gravado completamente em mandarim e ganhou quatro Oscars.

A produção possui duas protagonistas femininas em jornadas de descobrimento, com atuações sólidas das atrizes MichelleYeoh e Zhang Ziyi, além de uma trilha sonora premiada e cenas de ação com os atores suspensos por cabos que inserem um grau de beleza artística as lutas.