10 discos de K-pop que todos deveriam conhecer - e ir além do fenômeno do BTS

Muito além das influências do hip hop e da música eletrônica, o K-pop também abrange gêneros como o jazz e o rock

Julia Harumi Morita Publicado em 01/03/2020, às 11h00

None
Montagem com os discos The Most Beautiful Moment in Life: Young Forever, 130 Mood : TRBL e The War (Foto: Reprodução)

Nos últimos anos, o K-Pop deixou de ser uma cultura efervescente apenas na Ásia e passou a dominar também as paradas musicais da imponente indústria musical norte-americana. E se hoje vemos e ouvimos os K-idols nas premiações e rádios mundiais, definitivamente, é por causa do BTS

O grupo formado por V, Jungkook,Jimin, SUGA, Jin, RM e J-Hope conquistou  fãs no mundo inteiro com personalidades autênticas, singles icônicos e parcerias estratégicas com cantores como Halsey, Nicki Minaj e Steve Aoki

Mas muito além do BTS, o universo do K-Pop é formado por inúmeros grupos e artistas dos mais diversos gêneros musicais e identidades estéticas. De acordo o Consequence of Sound, o K-Pop é uma cena musical, a qual engloba desde o rap e hip hop até o synthpop e EDM.

Por isso, o site reuniu 10 discos essenciais para todos aqueles que desejam conhecer mais sobre a história da indústria popular sul-coreana e a transformação do estilo musical ao longo dos anos. Confira:  

Seo Taiji and Boys - Seo Taiji and Boys (1992)

Seo Taiji and Boys é um disco fundamental para entender as origens do K-pop. Nos anos 1990, o trio formado por Seo Taiji, Yang Hyun-suk e Lee Juno ousou ao misturar letras em coreano com o rap e hip hop norte-americano. 

O experimento chamou a atenção da indústria musical sul-coreana, a qual , na época, se resumia em baladas e trot, gênero tradicional precursor da música pop asiática.

+++ LEIA MAIS:  Rebeldia, lágrimas e autoaceitação: conheças as 6 eras do BTS


2NE1 - To Anyone (2010)

Segundo o Consequence of Sound, o 2NE1 foi o sinônimo de K-pop por muito tempo no Ocidente. O quarteto formado por CL, Park Bom, Sandara Park e Minzy é considerado uma verdadeira lenda do K-pop e foi um dos primeiros grupos a chamar atenção, mesmo que de forma mais segmentada, de ouvintes ao redor do mundo.

O disco de estreia do 2NE1 já mostra as batidas eletrônicas dançantes e a atitude empoderada presentes em praticamente todos os grupos de K-pop atuais, além da estética futurista, roupas coloridas e coreografias em grupo.

+++ LEIA MAIS:  John Cena fã de K-Pop? Lutador escolhe integrante favorito do BTS


IU - Modern Times Epilogue (2013)

Com o disco Modern Times Epilogue, IU desconstruiu a imagem inocente e o título de “Irmãzinha da Nação”, que recebeu do público asiático. As 13 faixas que compõem o álbum exploraram diferentes nuances de jazz junto com o vocais agudos e suaves da artista. A única faixa pop do projeto é “Friday” e, mesmo assim, a canção surpreende ao apostar em melodias acústicas.

+++LEIA MAIS: BTS é milimétrico com Map Of The Soul: 7 ao entregar uma declaração de amor ao Army [ANÁLISE]


Brown Eyed Girls - Basic (2015)

Ao invés de investir na imagem frágil e ingênua, comum entre os grupos femininos de K-pop, o grupo Brown Eyed Girls decidiu exibir o lado sensual e sexual das integrantes sem medo ou hesitação.

O sexto disco do grupo, Basic, traz referências ao desejo erótico e à masturbação em 10 faixas, que vão desde um pop sensível com guitarras suaves até um pop agitado com influências da disco music.

+++LEIA MAIS: BTS revela o poderoso significado por trás do título do disco ‘Map of the Soul: 7’


DEAN - 130 Mood : TRBL (2016)

No final da década de 2010, o R&B passou a ganhar destaque no K-pop com artistas solos como Dean. No EP 130 Mood: TRBL, lançado em 2016, o cantor traz um falsete cativante junto com um funk dos anos 1990 e batidas de trap, segundo a Consequence of Sound.

Apesar de muitos fãs questionarem se a música de Dean se encaixa no universo do K-pop, a repercussão do cantor na cena popular sul-coreana e a competição com grupos de K-idols é incontestável.

+++LEIA MAIS: 7 fatos que comprovam que o BTS merecia indicações ao Grammy 2020 - e justificativas para conseguir em 2021


BTS - The Most Beautiful Moment in Life: Young Forever (2016)

O K-pop não se resume ao BTS, mas seria impossível listar os discos mais marcantes da cena musical sem mencionar o grupo. O primeiro disco compilativo dos músicos, que reuni canções das obras extendidas The Most Beautiful Moment in Life, Part 1 e Part 2, prova o potencial dos artistas para o estrelato. 

Foi com o hits “Dope”, “Save” e “Fire” que os K-idols alcançaram a fama mundial, garantiram uma posição relevante nas paradas norte-americanas e deram abertura para outros grupos de K-pop conquistarem novos públicos fora da Ásia. 

+++ LEIA MAIS:  Go Soo Jung, atriz de clipe do BTS, morre aos 24 anos


SHINee - 1 of 1 (2016)

Com vocais pop e melodias R&B, o SHINee explorou o lado retrô do K-pop no quinto disco de estúdio do grupo, 1 of 1. Popularmente conhecidos como “Príncipes do K-pop”, Onew, Jonghyun, Key, Minho e Taemin conseguiram criar uma identidade sonora bem-sucedida por meio de composições experimentais únicas, segundo a Consequence of Sound.

+++ LEIA MAIS:  Artista de K-Pop, Kang Daniel cancela agenda devido a problemas de saúde mental


Day6 - Sunrise (2017)

Além do pop e do R&B, o K-pop também é formado por bandas de rock, como o Day6, que  mistura a estética impecável dos K-idols com guitarras de pop rock. Determinados a ganhar um espaço na exigente indústria musical sul-coreana, os músicos lançaram um single e uma B-side a cada mês, durante um ano. E o resultado do projeto experimental foi compilado no primeiro disco de estúdio da banda, Sunrise

+++ LEIA MAIS:  Ryan Reynolds tieta estrelas de k-pop EXO: “Faço parte do grupo”


EXO - The War (2017)

Exo é outro grupo de K-pop que conquistou uma legião de fãs ao redor do mundo com os primeiros discos de estúdio. Porém, segundo o Consequence of Sound, o disco The War, é um dos trabalhos mais marcantes dos K-idols, pois representa uma ruptura da estética extraterrestre, que acompanhava o grupo no início da carreira, e mostra a evolução da identidade sonora do grupo, principalmente nas canções “Ko Ko Bop” e “Chill”.

+++ LEIA MAIS: Billie Eilish repreende fãs que se opõem à possível parceria com BTS: "isso é tão cruel"


Red Velvet - The Perfect Red Velvet (2018)

No início da carreira, o Red Velvet interpretava duas identidades sonoras e visuais diferentes: o lado “Red”, definido por músicas pop, e o lado “Velvet”, caracterizado com canções de R&B. 

Mas o grupo feminino formado por Irene, Seulgi, Wendy, Joy e Yeri decidiu misturar os dois conceitos no segundo disco de estúdio - e a reedição dele - , The Perfect Red Velvet. “Peek-A-Boo”, “Bad Boy”, “Attaboy” e  “My Second Date” são alguns hits que compõem o álbum. 

+++ LEIA MAIS:  Brasileiras vão à Coréia do Sul para viverem do K-pop, mas acabam sendo prostituídas


+++ KAROL CONKA NO DESAFIO 'MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO'