7 itens bizarros dos Beatles vendidos por muito dinheiro: vaso sanitário por R$ 57 mil e dente por R$ 181 mil

Um dente de John Lennon poderia render uma sequência de DNA e um clone? Por quase R$ 200 mil, melhor que sim!

Redação Publicado em 07/03/2020, às 13h00

None
Dente e vaso de John Lennon (Foto 1 (Beatles): AP; Fotos 2 e 3: Divulgação)

Tem quem acredite que absolutamente todo item relacionado a bandas pode ser memorabília. Leve isso ao nível Beatles, o maior grupo musical da história, e temos uma coleção extensa de “produtos”.

Entre tantos objetos, também, não é de estranhar algumas bizarrices. O fab four teve, durante anos, a intimidade exposta. Cartas, roupas - tudo pode virar cifrões, pelo visto.

+++ LEIA MAIS: 3 músicas dos Beatles banidas das rádios por motivos totalmente ridículos

A exemplo deste “tudo”, nesta semana entrou em leilão o palco no qual os Beatles fizeram o primeiro show da carreira! Sim, arrancado do bar - e pronto para ir para sua casa (não é um bom modo de puxar assunto com as visitas?). Custa "apenas" R$ 46 mil.

Mas não é, nem de longe, o objeto mais estranho a receber o nome de Paul McCartney, John Lennon, Ringo Starr e George Harrison - e então, arrecadar uma grana. Separamos, abaixo, alguns desses itens (os valores, listados em Real, foram convertidos da Libra Esterlina em 6 de março de 2020):

+++ LEIA MAIS: John Lennon deixou mensagem secreta para Ringo Starr na última gravação antes do assassinato

Carta brava


Nos anos 1970, John Lennon gravou com Keith Moon e Harry Nilsson, do The Who. O estúdio ficou deplorável, já que “alguém” fez xixi nos controles. Ameaçaram expulsá-lo do lugar.

+++ LEIA MAIS: Gravação caseira mostra John Lennon cantando com filho Sean a música dos Beatles favorita dele; ouça a fofura

Bem bravo, o beatle escreveu para Phil Spector, produtor, explicando quem foi o “artista” e ameaçando ir para outro lugar. “Por que as pessoas de John Lennon não recebem bosta nenhuma?” lamentou, ainda, abaixo da assinatura. A carta vale R$ 36,3 mil.


Dente

+++ LEIA MAIS: Como The Dark Side of the Moon vendeu mais do que qualquer disco dos Beatles ou Led Zeppelin?

John Lennon extraiu um molar em 1960 - e um de seus empregados deu o dente de presente ao filho. Anos depois, Michael Zuk, dentista, comprou o “objeto”. O objetivo? Sequenciar o DNA e criar um clone de Lennon, algum dia. A brincadeira genética custou R$ 181,1 mil - o item mais caro desta lista.


Colher de pau

+++ LEIA MAIS: Bateria isolada de Ringo Starr em ‘Strawberry Fields’ prova que baterista dos Beatles é melhor do que muita gente pensa

Em 1969, John Lennon e Yoko Ono promoveram uma noite de filmes na London ICA. Lá, assinaram uma colher de pau, com a data - o utensília custa R$ 8,3 mil (mas, por favor, não use para cozinhar!).


Porta de casa

+++ LEIA MAIS: Qual música de John Lennon foi considerada ‘estranha demais’ para os Beatles e recusada até no disco com Yoko Ono?

Paul McCartney cresceu em Liverpool. Viveu em uma casa dos 13 aos 22 - escreveu boa parte das músicas dos Beatles por lá. A porta dessa construção foi a leilão - a maçaneta que McCartney tocava diariamente custou R$ 30,2 mil.


Um tijolo

+++ LEIA MAIS: Os 50 discos favoritos de Kurt Cobain: lista tem de Beatles a Sex Pistols

Um tijolo novo, hoje, custa R$ 1,59. Mas, se ele foi usado na casa em que John Lennon cresceu com Tia Mimi, acaba saindo por R$ 11,77 mil!


Vaso sanitário

+++ LEIA MAIS: Jimi Hendrix chamou Paul McCartney para formar supergrupo com Miles Davis; por que deu errado?

Depois da casa de John Lennon ser reformada, ao que parece, muita gente lucra. Além do tijolo, um vaso sanitário do ex-beatles já foi vendido por muito dinheiro. Lennon deu o objeto para o construtor John Hancock “usar como vaso de planta”. Ficou no jardim durante alguns anos - e depois vendeu por  R$ 57,3 mil.


Detenção

+++ LEIA MAIS: Paul McCartney detalha faixa a faixa do White Album, dos Beatles, em vídeo raro de 1969; assista

John Lennon causava muitos, muitos problemas na escola, como mostram dois boletins estudantis, emitidos quando o músico tinha 15 e 16 anos. As duas folhas de papeis detalham os “crimes” (como “comer na sala”, “conversar”, “preguiça” e muitos outros) e foram vendidas por R$ 40,45 mil cada. 

+++ KAROL CONKA NO DESAFIO 'MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO'