O quão próximo Ringo Starr era de Paul McCartney, John Lennon e George Harrison?

Recentemente, o músico relembrou como era o relacionamento dele com os ex-colegas de banda

Redação Publicado em 04/04/2021, às 16h30

None
Ringo Starr no Grarmy 2021 (Kevin Winter/Getty Images for The Recording Academy)

Nem sempre os integrantes de uma banda possuem um bom relacionamento e, muitas vezes, conflitos e diferenças entre os músicos podem levar ao fim de grandes bandas, como os Beatles

Contudo, apesar do turbulento fim do Fab Four, Ringo Starr não deixou de reconhecer o quão próximo era dos ex-colegas e o quão importante eles foram na vida dele, de acordo com o Express UK. Em uma recente entrevista ao The Late Show with Stephen Colbert, o baterista relembrou como era o relacionamento dele com Paul McCartney,John Lennon e George Harrison.

+++ LEIA MAIS: Paul McCartney reflete sobre os 40 anos da morte de John Lennon: 'É muito difícil para mim'

“As coisas acontecem e você pensa em como foi ótimo, [pensa] nos dias e nas coisas que aconteceram," disse Starr. “Eu sempre digo que sou filho único e, de repente, eu tinha três irmãos e éramos muito próximos.”

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

O apresentador também questionou Starr sobre a frequência em que o músico pensava nos colegas. “Oh sim, um pouco. Quer dizer, nem todos os momentos da minha vida, é claro [...] Acabamos de ter dois aniversários tristes. Faz 20 anos [desde] que perdemos George; um grande amigo meu. John, 40 anos pelo amor de Deus! ”

+++ LEIA MAIS: Beatles: Como foi o último encontro entre George Harrison e Paul McCartney?

Starr também falou sobre como cada integrante deu o máximo de si enquanto estava nos Beatles. “Nós quatro sempre demos tudo e essa é uma ótima memória para se ter. Ninguém disse: 'Oh, estou cansado' ou isto, aquilo e aquilo outro; demos tudo de nós.”


+++ KONAI: 'ESTAMOS EM PRESSÃO CONSTANTE PARA SER O QUE NÃO É NOSSO NATURAL' | ENTREVISTA

+++ MAIS SOBRE BEATLES: 10 curiosidades sobre Please Please Me, primeiro disco dos Beatles, que você provavelmente não sabia 

Em 22 de março de 1963, os Beatles lançaram o disco de estreia, Please Please Me - e foi o primeiro registro gravado do quarteto de Liverpool apresentado ao mundo. Aqui estão 10 curiosidades sobre o álbum - que você provavelmente não sabia:

+++ LEIA MAIS: 3 músicas dos Beatles banidas das rádios por motivos totalmente ridículos

1. Não foi um sucesso instantâneo 

O disco não teve um bom retorno em um primeiro momento. Na verdade, demorou seis meses para que o reconhecimento dos Beatles começasse a acontecer como álbum Please Please Me. Vale lembrar que o single, de mesmo nome, lançado em 1962, foi bem recebido pelo público e tornou-se um sucesso no Reino Unido.

+++LEIA MAIS: John Lennon deixou mensagem secreta para Ringo Starr na última gravação antes do assassinato


2. O disco foi gravado em menos de 12 horas

O álbum teve que ser gravado rapidamente, de modo a capitalizar o sucesso do single “Please Please Me”, que vinha subindo nas paradas há dois meses. George Martin reservou duas sessões consecutivas de estúdio, começando às 10 horas da manhã de uma segunda-feira. Precisou de uma terceira sessão para concluir o trabalho que Martin conseguiu e “Twist and Shout” foi finalizada assim que o tempo de estúdio acabou, às 22h45.

+++ LEIA MAIS: Gravação caseira mostra John Lennon cantando com filho Sean a música dos Beatles favorita dele; ouça a fofura


3. A capa no Zoológico de Londres

Como membro honorário da Sociedade Zoológica de Londres, dona do Zoológico de Londres, Martin julgou que seria interessante fazer os Beatles posarem em frente à casa de insetos do Zoológico para a capa. 

A Sociedade, contudo, não gostou da ideia e recusou educadamente. Martin trouxe o fotógrafo Angus McBean que simplesmente tirou a foto da escada do lado de fora do prédio da gravadora EMI. 

+++ LEIA MAIS: Como The Dark Side of the Moon vendeu mais do que qualquer disco dos Beatles ou Led Zeppelin?


4. O disco não foi caro

Apesar do custo da sessão extra de estúdio, o dia inteiro cobra cerca de £ 400 - em média R$ 2.600,00 na cotação da libra nesta segunda, 30. Esse número é bem baixo se comparado ao valor médio de gravação.

+++LEIA MAIS: 7 itens bizarros dos Beatles vendidos por muito dinheiro: vaso sanitário por R$ 57 mil e dente por R$ 181 mil


5. Rivalidade com The Shadows

The Shadows era a principal banda pop no Reino Unido na década de 1960 - e era o principal concorrente, e anteriormente, influência para os Beatles. Com Please Please Me, o quarteto de Liverpool queria inserir novos sons e estilos para ocupar o espaço de The Shadows

+++ LEIA MAIS: Bateria isolada de Ringo Starr em ‘Strawberry Fields’ prova que baterista dos Beatles é melhor do que muita gente pensa


6. McCartney-Lennon

Em Please Please Me foi a única vez que os créditos das músicas foram escritos como “McCartney-Lennon” e não “Lennon-McCartney”. Paul disse mais tarde à Rolling Stoneque o plano era alternar os créditos - às vezes Lennon viria primeiro, e outras McCartney. "Lennon-McCartney", contudo, rapidamente se tornou "um bom logotipo", contou o baixista. 

+++LEIA MAIS: As 5 músicas dos Beatles feitas por Paul McCartney que John Lennon mais gostava 


7. Please Please Me foi inspirado por Bing Crosby Tune

O título da música, e portanto, do disco, foi inspirado por uma canção antiga de Bing Crosby chamada "Please". "Sempre fiquei intrigado com o duplo uso da palavra 'please'", disse Lennon em uma entrevista. 

+++ LEIA MAIS: Qual música de John Lennon foi considerada ‘estranha demais’ para os Beatles e recusada até no disco com Yoko Ono?


8. A voz de John Lennon ficou destruída 

Os Beatles guardaram “Twist and Shout” para o final e sabiam que só conseguiriam um ou dois takes de gravação, porque depois de quase 9 horas seguidas de canto sem descanso, a voz de John Lennon estava destruída. A música precisou ser gravada em apenas um take. Mais tarde, o vocalista disse sobre a gravação desta canção: “Não conseguia mais cantar, apenas gritar.”

+++ LEIA MAIS: Os 50 discos favoritos de Kurt Cobain: lista tem de Beatles a Sex Pistols


9. "Misery" não foi composta para o disco 

Inicialmente, Paul McCartney escreveu “Misery” para Helen Shapiro - uma das cantoras mais famosas e reconhecidas da época - a pedido do empresário dela. A música, contudo, foi negada pelo mesmo e acabou tornando-se uma das faixas do disco. 

+++ LEIA MAIS: Jimi Hendrix chamou Paul McCartney para formar supergrupo com Miles Davis; por que deu errado?


10. Quase foi um disco ao vivo

Martin queria capturar a magia e a emoção das apresentações ao vivo dos Beatles no Cavern Club, e até visitou o espaço para descobrir os detalhes técnicos para gravar lá. O momento não deu certo, então o produtor reservou o estúdio. "Foi uma apresentação direta do repertório do palco - uma transmissão, mais ou menos", disse Martin

Mais tarde, Lennon concordou: "Esse disco tentou nos mostrar ao vivo e foi a coisa mais próxima do que poderíamos ter soado ao público. Você não percebe a atmosfera ao vivo da multidão, mas é o mais próximo possível de saber como éramos antes de nos tornarmos os Beatles 'inteligentes'."

+++LEIA MAIS: Ouça as harmonias vocais em "Help!" e ame ainda mais os Beatles


BÔNUS: "Please Please Me" é a música favorita de Keith Richards

"Eu sempre disse a McCartney: 'Please Please Me'. Eu simplesmente amo os sinos, e eu estava lá na época e foi lindo", respondeu Richardsapós ser questionado por Jimmy Fallon sobre qual música dos Beatles era a favorita dele. "Existem outras ótimas, mas se eu tiver que escolher um, 'Please Please Me’ com certeza."

+++LEIA MAIS: Qual foi a última música que John Lennon e Paul McCartney fizeram para os Beatles?