Os 50 momentos que definiram a música nos anos 2010, segundo a Rolling Stone EUA

De 2010 a 2019, a cultura da música passou por uma revolução sem precedentes. Aqui estão os maiores e mais loucos momentos que merecem ser lembrados

Amy X. Wang, Rolling Stone Brasil Publicado em 04/12/2019, às 05h00

None
Prince, Drake e Taylor Swift (Foto 1: Reprodução/ Foto 2: Charles Sykes / Invision AP) Foto 3: Divulgação)

Foi o melhor e o mais caótico dos tempos. Ao longo da última década, a indústria da música passou por uma transformação como nunca antes. As startups derrubaram hierarquias antigas, novas ideias e iconoclastas subiram à vanguarda e os artistas ganharam um novo nível de poder sobre a própria música.

Além disso, as empresas de tecnologia reinventaram décadas de estratégia da indústria e os negócios da música, como um todo, finalmente começaram a levantar dinheiro novamente. E isso, apenas para citar algumas das revoluções que ocorreram nos últimos dez anos.

+++ LEIA MAIS: Beyoncé, Kendrik Lamar e Leonard Cohen: os 10 discos da década, segundo a revista Time [LISTA]

A dinâmica entre músicos, fãs e executivos da indústria nunca mais será a mesma, graças a esta década de agitação, e os próximos anos de música inevitavelmente terão pistas disso.

Aqui, em ordem cronológica, estão os 50 eventos mais importantes da música para serem lembrados.


1. Ticketmaster e Live Nation se tornaram uma gigante de eventos ao vivo

Janeiro de 2010 - O Departamento de Justiça dos Estados Unidos aprova uma fusão controversa entre as duas maiores concorrentes no mercado global de música ao vivo, calculado em US$ 4,4 bilhões. A união foi chamada, por Irving Azoff, de "uma grande vitória para os fãs." (Frequentadores de concertos, na próxima década, podem não compartilhar esse sentimento.)


2. Os Beatles finalmente colocaram suas músicas no iTunes

Novembro de 2010 - Após segurar por anos, os Beatles dão fim ao seu próprio boicote digital e lançaram, finalmente, o catálogo no iTunes, da Apple. O acordo lucrativo é tanto uma vitória para os amantes dos Beatles quanto um sinal da inevitável inescapabilidade das lojas de música digital - pelo menos por enquanto.

+++ LEIA MAIS: Fã dos Beatles faz imitações quase perfeitas da banda em aplicativo de vídeo


3. "Friday, Friiiday"

Março de 2011 - Uma música inofensiva gravada por Rebecca Black, de 13 anos, torna-se um fenômeno viral por vários meses. Parte da fascinação com a música deve-se ao fato de Black apresentar uma "tonalidade peculiar que, inadvertidamente, destaca o absurdo das letras pop clichê," escreve Matthew Perpetua na análise da Rolling Stone EUA.


4. A turnê 360 ​​° do U2 estabelece um novo padrão para shows

Junho de 2011 - De 2009 a 2011, U2 arrasta uma metálica  - e parecida com uma espaçonave - "garra" para acompanhar a turnê global. A estrutura imponente, combinada com espasmos de luz de LED e um show de duas horas elaboradamente coreografado, ajuda a banda a quebrar recordes de presença em mais de 60 locais, mesmo em um momento de diminuição nas vendas de música. É o início de uma explosão de imitações estratégicas e preços crescentes dos ingressos.

+++ LEIA MAIS: Ed Sheeran supera U2 e tem turnê mais lucrativa da história


5. Spotify chega aos Estados Unidos

Junho de 2011Spotify estreia nos EUA, levando, inicialmente, a publicações de matérias como "O que é essa coisa do Spotify?". No entanto, o serviço de streaming se tornará uma das plataformas musicais mais populares do país e acumulará 248 milhões de usuários globais até o final de 2019, com um plano de crescimento agressivo para a próxima década.

+++LEIA MAIS: Nem rock, nem sertanejo: dados do Spotify mostram que o ritmo favorito dos brasileiros é o brega-funk


6. "Call Me Maybe" torna-se viral de novo, de novo e de novo

2012 — O pop "Call Me Maybe", da artista canadense Carly Rae Jepsen, realiza o trio de sucesso do mundo musical: torna-se grande nas paradas, recebe elogios em críticas de outros artistas e provoca um movimento global de fãs. A vibração feita para o karaokê da música consegue convencer a todos, desde Justin BieberKaty Perry até James Franco e o time de beisebol da Universidade de Harvard, levando Jepsen ao cobiçado escalão das celebridades que abrangem gerações. 

+++ LEIA MAIS: Justin Bieber descobre que é primo de Avril Lavigne e Ryan Gosling


7. Holograma de Tupac no Coachella desencadeia toda uma indústria caseira

Abril de 2012 - Um holograma de Tupac Shakur "faz show" no Coachella ao lado de Snoop Dogg e Dr. Dre. O efeito especial, com custo relatado entre US$100 mil e US$ 400 mil, servirá como um modelo para a introdução de outras turnês de hologramas com artistas já mortos, como Roy OrbisonWhitney Houston - embora vários desses planos ainda não tenham se concretizado.

+++LEIA MAIS: Tupac Shakur é 'flagrado' em vídeo ao vivo e alimenta teoria da conspiração; veja


8. "Gangnam Style" abre uma porta para o cenário mundial

2012 - Para além do popular e do viral, há o sucesso de Psy em todas as ocasiões: o hit "Gangnam Style" expõe centenas de milhares de pessoas à cena musical pop coreana por meio de um videoclipe e uma mania de dança global. "Eu falei [para o diretor], 'Ei, essa é uma dança de cavalo, então vamos encontram um lugar de cavalo.' Dessa forma, consegue ser mais cafona, pode ser mais ridículo. Então fizemos isso."

+++LEIA MAIS: Gotye, Psy e mais: 6 artistas que estouraram na década de 2010... e depois sumiram [LISTA]


9. O meme "Harlem Shake" leva ao mainstream da EDM

Fevereiro 2013 - Imediatamente seguindo "Gangnam Style" para o ápice da fama na internet vem a faixa de dança nervosa "Harlem Shake". Após DJ Bauuer gravá-la em maio de 2012, uma série de vídeos no Youtube em fevereiro de 2013 ajudam a explodir em um esmagamento viral. O sucesso inesperado da faixa, chamado pelo gerente de gravadoras de Bauuer como "um pouco estranho, novo e confuso", atrai celebridades como Stephen Colbert e Jimmy Fallon a participar e marca um dos primeiros triunfos da chamada música de novidade.


10. A inabalável canção da Disney, ganhadora do Oscar, sobre neve

2013 - A trilha de Frozen, filme animado da Disney, consegue esmagar todas as expectativas quando rende mais de um milhão de vendas e centenas de milhões de streamings em um período de meses, sem contar um Oscar pela faixa-título "Let It Go." O presidente do Disney Music Group, Ken Bunt, fala à Rolling Stone EUA que enquanto a empresa nunca planejou as músicas de Frozen serem "um fenômeno," ele sabia que tinha um "filme especial com música incrível e emocionante" em suas mãos.

+++LEIA MAIS: Demônios, mortes e alucinações: a verdadeira história de Frozen, da Disney 


11. Álbum da Beyoncé pega o mundo de surpresa

Dezembro de 2013 - Sem aviso, Beyoncé lança 14 novas músicas e 17 vídeos no que ela chama de "álbum visual," intitulado Beyoncé e ostentando colaboradores como o marido Jay-Z e a filha de dois anos, Blue Ivy. O disco é descrito em comunicado para a imprensa como "jornada não-linear por meio dos pensamentos e visões de Beyoncé" , "projetado para ser consumido como uma obra audiovisual compreensiva de cima a baixo". A estratégia da cantora incita uma onda de lançamentos-surpresa nos próximos anos, à medida que os artistas percebem o impacto proporcional entre lançamentos surpresa e meses de construção na era do streaming digital.

+++ LEIA MAIS: Donald Trump critica Beyoncé, Jay-Z e Bruce Springsteen enquanto público o aplaude; assista


12. Macklemore, Kendrick Lamar e o Grammy 

Janeiro de 2014 - As quatro premiações Grammy de Macklemore quase foram ofuscadas pelo texto do artista para o colega Kendrick Lamar, também indicado para o prêmio. Horas depois, Macklemore diz a Lamar que "você foi roubado" pelo melhor álbum de rap e "queria que você ganhasse, você devia. É estranho e é uma merda que eu roubei você.”

Escrevendo para os fãs em uma publicação de mídia social, Macklemore alega que Lamar “mereceu o melhor álbum de rap”, em um episódio emblemático tanto para o poder crescente dos artistas sobre o discurso da mídia quanto a influência decrescente dos resultados reais das cerimônias de premiação.

+++ Depois de Jay-Z, Forbes lista quais serão os próximos rappers bilionários


13. Shawn Mendes torna-se um superastro global com covers de seis segundos

2014 — O adolescente canadense Shawn Mendes consegue meio bilhão de visualizações no aplicativo Vine com covers de seis segundos de músicas de Justin Bieber e Ed Sheeran. Os vídeos levaram à sua descoberta por um agente em 2013, catapultando-o ao estrelato nos anos seguintes. 

+++LEIA MAIS: Shawn Mendes pede desculpas por tuítes racistas, mas não assume culpa


14. U2 concede seu álbum a 500 milhões de fãs desconhecidos

Setembro de 2014 - o que poderia ser a desvantagem de meio bilhão de pessoas recebendo downloads não solicitados do álbum Songs of Innocence, do U2, em suas contas no iTunes de uma só vez? O caro golpe de relações públicas da Apple, cercado por falhas técnicas e críticas públicas que consideram a ação "pior que o spam", força a empresa a divulgar - após uma semana - instruções sobre como excluir o disco. 

+++LEIA MAIS: Por que Bono, vocalista do U2, sempre usou óculos de sol?

No entanto, como Jimmy Lovine explica mais tarde, o truque tem uma mensagem por trás: “Não há muito rock no zeitgeist, então o que a banda estava tentando fazer é desafiar a gravidade. E quaisquer ferramentas que você possa usar para fazer isso, você deve usar.”


15. O caso Kesha-Dr. Luke desafia a dinâmica da indústria

2014 até o presente - Em 2014, a cantora Kesha processa Dr. Luke, relatando que ele "abusou dela sexualmente, fisicamente, e emocionalmente" a pontos dela "quase perder sua vida," negado por Dr. Luke. O caso amargo continuará por anos não apenas nos tribunais, mas também na esfera pública, onde artistas colegas de Kesha, como Taylor Swift, Lady Gaga e Katy Perry, discutem o assunto; Ele também permanecerá nos bastidores de qualquer discussão sobre gênero e dinâmica de poder na indústria da música.

+++LEIA MAIS: Dr. Luke alega novamente que acusações feitas por Kesha são falsas


16. Taylor Swift vai à guerra contra streaming de música

Novembro de 2014Taylor Swift abruptamente tira todo o seu catálogo do Spotify, em protesto contra o nível gratuito do serviço de streaming. Ela escreve uma mensagem para o mundo: “Música é arte, e arte é importante e rara. Coisas importantes e raras são valiosas. Coisas valiosas devem ser pagas." A estrela voltará ao Spotify em 2017, mas sua ausência temporária leva a indústria a dar um passo atrás e perceber o quanto os artistas, na era liderada por streaming, podem realmente exercer poder.

+++LEIA MAIS: Kevin o Chris é o artista brasileiro mais ouvido no Spotify: "A favela venceu"


17. Um drama da dinastia hip-hop se torna o hit do ano da TV

Fevereiro de 2015 - O fato de uma série de televisão sobre família, dinheiro e rap ser um dos principais pontos culturais do ano diz muito sobre a nova simbiose entre música e entretenimento. O Império da FOX é "uma gloriosa e absurda explosão, combinando uma sensibilidade hip-hop à la Hustle & Flow com um senso antigo de sabão de milho no horário nobre", escreve Rob Sheffield, da Rolling Stone EUA.

+++LEIA MAIS: Clube da Luta: Edward Norton culpa a Fox pelo fracasso de bilheteria do filme


18. O processo contra "Blurred Lines" torna os direitos autorais da música realmente embaçados

Março de 2015 - Um júri em Los Angeles decide, em resolução chocante, que Robin Thicke arrancou notavelmente o hit de Marvin Gaye "Got to Give It Up", de 1977, quando escreveu o grande sucesso "Blurred Lines" com Pharrell Williams e TI. O pedido:  US$ 1 milhão à propriedade de Gaye. A indústria da música alerta para um efeito cascata do processo "Blurred Lines", podendo resultar em dezenas de novos processos de direitos autorais - que mais ou menos se tornam realidade.

+++LEIA MAIS: Mano Brown cria playlist romântica com Marvin Gaye, Stevie Wonder e Milton Nascimento; veja


19. James Corden e Mariah Carey estreiam um programa de música dentro de um carro

Março de 2015Mariah Carey concorda em ser pioneira no novo segmento no The Late Show with James Corden depois que o apresentador mostra a ela um clipe dele cantando com George Michael em um carro. A série Carpool Karaoke, com minutos de duração, torna-se um sucesso descontrolado - e, em 2016, é arrebatada pela Apple Music em um contrato de licenciamento exclusivo - e sugere futuro promissor para a música em novas formas não convencionais de mídia.

+++ LEIA MAIS: Lil Nas X pede ajuda de Mariah Carey para quebrar o recorde de Boyz II Men com Old Time Road


20. Introduzindo o Spotify da Apple

Junho de 2015 - A Apple lança seu novo projeto, Apple Music, um serviço de streaming de música por assinatura que faz ... Exatamente a mesma função do Spotify, apontam os críticos de tecnologia. O mais desapontado de tudo é Daniel Ek, fundador do Spotify, que twittou: “Ah, ok.” Mas o rival da Apple será um sucesso devido à sábia combinação de suas ofertas de hardware e software para os usuários. Ele também sinaliza ao mundo que a indústria de streaming pode ser uma partida para dois jogadores.

+++LEIA MAIS: A nova guerra entre Spotify e Apple Music não tem nada a ver com música; entenda


21. Discover Weekly e o advento da playlistomania

Julho de 2015 - Apresentada como uma mixtape personalizada, a lista de reprodução Discover Weekly, do Spotify, faz parte de curadoria algorítmica, parte da rádio escolhida à mão na sua estação AM/FM favorita. A lista de reprodução disforme se torna extremamente popular e se transforma em padrão do setor, com outros serviços de streaming lançando recursos de descoberta próprios e listas de reprodução personalizadas. Assim, a playlist torna-se sinônimo da própria música.


22. Lançamentos de álbuns mudam para sexta-feira para ganhar dinheiro com seu salário

Julho de 2015 - A Federação Internacional da Indústria Fonográfica transfere todos os lançamentos globais de música para as sextas-feiras. A medida foi tomada em um esforço de reduzir a pirataria ao redor do mundo, permitir que os artistas concentrem suas campanhas nas mídias sociais e "reacender a empolgação e a sensação de ocasião em torno do lançamento de novas músicas." Para realizar a ação, a Federação cita pesquisas de consumidores que sugerem o interesse dos fãs em comprar novas músicas quando se dirigem ao fim de semana.


23. Ataques terroristas alteram para sempre a abordagem da segurança dos shows

Novembro de 2015 - Um ataque terrorista em show do Eagles of Death Metal, no Bataclan, em Paris, resulta na morte de quase 100 pessoas; dois anos depois, uma bomba mata 22 pessoas em show da Ariana Grande, em Londres, e um atirador no festival de música Route 91 Harvest, em Las Vegas, abre fogo contra a multidão, matando 58. Consequentemente, locais de shows começam a testar táticas extremas de segurança como cães farejadores de vapor e tecnologia anti-drone - porque, embora a segurança tenha sido anteriormente sobre controle de multidões, essa indústria agora também precisa se proteger contra ataques violentos.

+++ LEIA MAIS: A nova era do pop: Ariana Grande e Rosalía provam o porquê de estarem no topo [OPINIÃO]


24. Musical sobre Alexander Hamilton faz estreia recorde nas paradas

2015 - A trilha sonora de Hamilton, a incrivelmente popular peça da Broadway de Lin-Manuel Miranda, estréia no número 12 da parada Billboard 200, uma colocação sem precedentes para uma gravação de elenco. “Este álbum, criado com a ajuda dos The Roots, produz algo ainda mais impressionante [que o musical]: prova que um LP da trilha sonora do elenco pode funcionar como uma experiência pop poderosa, coesa e emocionante no século 21”, escreve Brittany Spanos, da Rolling Stone EUA.

+++LEIA MAIS: Babymetal é a primeira banda asiática a conquistar o primeiro lugar na parada de rock da Billboard


25. Todos saúdam a turnê de reunião do rock clássico

2016 até o momento - Talvez não haja melhor emblema metafórico da mania da reunião de rock em meados de 2010 do que o show do Guns N’ Roses em Las Vegas, no qual Axl Rose se apresenta com - literalmente -  uma perna quebrada de um show de aquecimento ocorrido alguns dias antes. (“Entendo como você pode se acostumar com isso”, diz Rose, mancando de muletas nos bastidores para subir ao trono de Dave Grohl.) À medida que a música ao vivo se torna uma das fontes de receita mais lucrativas para os músicos, bandas de rock reaparecem para shows de reencontro um após o outro, aproveitando os fãs leais que estão em momento da vida com dinheiro para gastar.

+++LEIA MAIS: Guns N’ Roses supera Coldplay e tem a 3ª turnê mais lucrativa da história; veja lista


26. Vou consertar ‘Wolves’”, prometeu Kanye West (e cumpriu)

Fevereiro de 2019 - Poucas horas após o lançamento do novo LP, The Life of Pablo, Kanye West declara que ainda não terminou o álbum: uma faixa, "Wolves", será atualizada. Um mês depois, o músico realmente vai além, e atualiza 12 músicas completas do disco, principalmente com produção e ajustes vocais - mas demonstrando que o conceito de finalização do álbum pode estar desatualizado na era do streaming. Ou esse é o conceito do próprio álbum?

+++ LEIA MAIS: Kanye West anuncia produção de Jesus Is King Part II com Dr. Dre


27. A morte de Prince resulta em um caos judicial sobre as músicas do cantor

Abril de 2016 - A morte de Prince, decorrente de uma overdose de opióides, chocou os fãs do mundo inteiro. Além disso, as milhares de horas de música trancadas no cofre do artista em Paisley Park entram em risco. Isso porque, sem contrato legal, a questão do controle da propriedade do músico - no valor de centenas de milhões de dólares - também se torna questão de disputa.

Embora a Legacy Records da Sony chegue a um acordo com o espólio de Prince em 2018 para ser o parceiro de distribuição exclusiva de 35 álbuns lançados anteriormente, a música do cofre permanecerá, por enquanto, totalmente intocada.

+++ LEIA MAIS: Prince lança inédita Don’t Let Him Fool Ya, gravada em 1982 em estúdio caseiro; ouça


28. O streaming é bem-vindo no santuário dos santuários

Junho de 2016 - A organização norte-americana, The Recording Academy anuncia que começará a permitir que discos exclusivamentes de streaming sejam elegíveis para serem indicados a prêmios. Isso garantiu que o álbum Coloring Book, de Chance, The Rapper, fizesse história no Grammy no ano seguinte ao se tornar o primeiro disco vencedor a não vender cópias físicas. 

"Fama ou sucesso percebido, tudo vem do pensamento do grupo", disse o músico para a Rolling Stone EUA. Essa é uma filosofia que também se aplica ao conjunto de regras do Grammy.

+++ LEIA MAIS: Chance, The Rapper, tem música bloqueada por conter sample de John Lennon; entenda


29. Taylor, Kim e Kanye se enfrentam nos aplicativos

Julho de 2016 - O que começa com uma briga leve entre Taylor Swift e Kanye West se transforma em uma guerra quando a esposa de West, Kim Kardashian, publica um vídeo no Snapchat de uma conversa entre o rapper e a popstar. Nele, ao contrário dos comentários do público, Taylor parece aprovar que West use letras com menção à ela na música “Famous”.

A cantora nega que essa seja toda a verdade e responde no Instagram com a frase: "Eu gostaria muito de ser excluída desta narrativa". 

Toda a saga do eles disseram - ela disse aconteceu nas mídias sociais, o que permite que os fãs aproveitem em tempo real o desenvolvimento da história.

+++ LEIA MAIS: Entrevista Rolling Stone: Taylor Swift


30. A polêmica de Frank Ocean com duas gravadoras

Agosto de 2016 - Frank Ocean lança o novo disco Endless, que estreia com exclusividade na Apple Music, e cumpre a obrigação contratual com o Universal Music Group. Um dia depois, ele divulga um segundo álbum, Blonde, o qual os críticos acreditaram ser o “real”. Isso gerou à Frankuma fatia muito maior de royalties devido à falta de envolvimento de uma gravadora.

O presidente e CEO da Universal, Lucian Grainge, reage imediatamente ao "ilegalizar" os exclusivos de streaming na empresa de música - matando uma estratégia que as gravadoras estavam interessadas.

+++ LEIA MAIS: Frank Ocean retorna com Blonded Radio e lança primeira música inédita desde 2018; ouça


31. O festival Deserve Trip prova o quanto a nostalgia paga

Outubro de 2016 - O “Coachella para idosos” prova que os céticos estão errados com o festival matador, que traz apresentações dos Rolling Stones, Neil Young, Paul McCartney, Roger Waters, Bob Dylan, e The Who.

O evento gerou um lucro recorde de US$ 160 milhões, que supera bem os US$ 94 milhões do Coachella.

+++ LEIA MAIS: Rolling Stones, Paul McCartney e mais: 7 das 10 turnês mais rentáveis da década são de artistas do rock


32. "Despacito" corre o mundo sem uma palavra em inglês

Janeiro de 2017 - A sensual "Despacito" de Luis Fonsi e Daddy Yankee desafia a gravidade, explodindo na estratosfera da música, mesmo antes de Justin Bieber emprestar o poder de estrela a um remix.

O clipe da faixa tornou-se o primeiro vídeo do YouTube a receber 5 bilhões de visualizações. Além disso, tornou-se a música mais transmitida em todo o mundo.

No entanto, a maior conquista de “Despacito” é o rompimento da barreira do idioma para hits pop nos EUA, mostrando ao público que a música não precisa ser totalmente compreendida para ser amada.

+++ LEIA MAIS: Old Town Road de Lil Nas X derrota Despacito e estabelece recorde histórico nas paradas de sucesso


33. Drake lança uma gravação de 22 faixas, que não é uma gravação

Março de 2017 - More Life, de Drake, não é nem um disco, nem um mixtape. Na verdade, é uma playlist que serve como “uma coleção de músicas que se tornaram a trilha sonora da sua vida”. O não-registro de 82 minutos leva ouvintes do dancehall do Caribe até a casa sul-africana. E, a cobrança própria como um esforço colaborativo parece enfatizar isso.

"Quando você se aprofunda, Aubrey Graham é uma playlist - um verdadeiro visionário pop que sempre é um fã de coração, um onívoro com um apetite violento pelo seu próximo som favorito", escreve Rob Sheffield, editor contribuidor da Rolling Stone EUA.

+++ LEIA MAIS: Drake é vaiado e abandona palco de festival 20 minutos antes do previsto


34. Future derrota o próprio sucesso com outro sucesso 

Março de 2017 -  O álbum HNDRXX alcança o inédito e tira o outro disco do rapper, Future, do primeiro lugar na Billboard 200. Isso demonstra como as coisas podem ficar malucas na era da distribuição e do acesso barato e instantâneo da música.

O lançamento duplo pode ser um truque de vendas, mas também é um reflexo do comportamento do público: os fãs devoram as novas músicas dos principais artistas o mais rápido possível para os próximos lançamentos.

+++ LEIA MAIS: Disco de Rihanna supera Beyoncé e quebra recorde na Billboard 200


35. O streaming assume papel de liderança na receita da indústria musical dos EUA

2017 - Os pessimistas do streaming precisam admitir algum nível de derrota quando a Associação da Indústria de Gravação da América divulgou os números mostrando que o formato, no ano anterior, gerou, pela primeira vez na história, mais dinheiro para o negócio de música dos EUA do que todas as outras formas de distribuição.

O novo equilíbrio de poder causa muitas discussões entre as empresas de música tradicional no começo - mas a maioria delas começa a redistribuir os esforços e orçamentos de acordo com o que o contexto pede.


36.  O Fyre que queimará para sempre

Abril de 2017 - Billy McFarland é um gênio ou um louco? Existe um universo no qual o Fyre Festival poderia ter ocorrido sem problemas? O que oferece mais escândalos: o acerto de contas metafórico dos candidatos ricos do festival ou os documentários que mostram o desastre da ilha? Algumas perguntas podem nunca ser respondidas.

+++ LEIA MAIS: Blink-182 é processado pelo administrador do Fyre Festival e deve pagar US$500 mil


37.  “Gucci Gang” e a conquista do SoundCloud

Julho de 2017 - A música de dois minutos de Lil Pump, "Gucci Gang", consegue encontrar o equilíbrio perfeito entre inocência e irreverência. A faixa leva Pump de um rapper autodidata do SoundCloud, a um artista de uma grande gravadora com um contrato de US $ 8 milhões - em questão de meses. Isso é tanto uma prova do sucesso da plataforma DIY SoundCloud, quanto da mania da corrida do ouro para novos talentos do rap.

+++ LEIA MAIS: Cobra morde rapper Lil Pump durante filmagem de clipe; veja


38. A residência de Las Vegas é o novo estádio das turnês

Dezembro de 2017 até o momento - Em um acordo que vale US$ 100 milhões, Lady Gaga passa a residir temporariamente no MGM Park Theatre de Las Vegas, tornando-se uma dos vários artistas a trocar equipamentos por uma suíte de hotel estilo Sin City. 

Além dela, Drake assinará um contrato de vários anos com o XS Nightclub logo em seguida, e o DJ Marshmello se estabelecerá no KAOS Nightclub do Palms - embora a alta taxa realmente contribua para o fechamento do local no final de 2019, sugerindo que a bolha de residência possa não permanecer como tal por muito tempo.

+++ LEIA MAIS: Lady Gaga está produzindo cinebiografia sobre a própria vida, diz site


39. Kendrick Lamar ganha um Pulitzer

Abril de 2018 - Pelo álbum DAMN, Lamaré o primeiro artista não-clássico e fora do jazz a receber o Prêmio Pulitzer de Música. O conselho da premiação elogia a “autenticidade vernacular e o dinamismo rítmico” da música “DAMN”, em particular. 

"O objetivo inicial era fazer um híbrido dos meus dois primeiros álbuns comerciais", disse Lamarà Rolling Stone EUA sobre o disco. “Esse era o nosso foco total, como fazer isso sonoramente, liricamente, através da melodia - e saiu exatamente como eu ouvi na minha cabeça. Minha musicalidade me leva desde os quatro anos de idade. São apenas pedaços de mim, cara, e como eu a executo é o desafio final. "

+++ LEIA MAIS: De Zeca Pagodinho a Kendrick Lamar, Djonga escolhe os melhores de todos os tempos


40.  Beyoncé e J Balvin refazem o Coachella para si mesmos

Abril de 2018 - No que pode ser conhecido para sempre como o "Coachella da Beyoncé", a apresentação de 2018 da artista no deserto da Califórnia mostra a superestrela marchando no palco com uma equipe de cem integrantes, uma série de amigos e familiares, e uma visão dramática sobre o que pode ser o festival de música tradicionalmente focado no rock.

O convidado surpresa de Beyoncé, J Balvin, faz história ao apresentar a música em espanhol “Mi Gente”, que também prepara o palco - física e metaforicamente - para todo o set no Coachella do próximo ano, com Rosalíae Sean Paul.

+++ LEIA MAIS: 7 motivos que comprovam que Beyoncé é realmente a 'dona do mundo' [LISTA]


41. O que fazer com R. Kelly e XXXTentacion?

Junho de 2018 - O Spotify tenta mostrar boas intenções instituindo uma política de "conteúdo e conduta de ódio", a qual impede os artistas R. Kelly e XXXTentacion de aparecerem em listas de reprodução. No entanto, o serviço de streaming de música é rapidamente julgado por atuar como uma policial moral, e precisa retirar a política após algumas semanas recebendo críticas. A empresa aprende uma lição, mas a conversa sobre o apoio à má conduta artística permanece obscura como sempre.

+++ LEIA MAIS: R. Kelly pede fiança para poder sair com as duas namoradas dele


42 - Drake admite ter um filho, graças à Pusha T

Junho de 2018 - A internet explode quando Pusha T lança a faixa "The Story of Adidon", e acusa Drake de ter um filho e manter a existência dele em segredo. Um mês depois, Drake, no novo álbum Scorpion, confirma a história - embora os produtores envolvidos discutam que é apenas uma resposta direta à música de Pusha

Alguns dizem que as informações podem ter chegado a Pusha via Kanye West, que Drake visitou anteriormente em Wyoming. Seja qual for o caso, o conflito no rap reproduzido inteiramente por meio de gravações significa que os dois artistas conseguem garantir uma boa quantidade de royalties.

+++ LEIA MAIS: 5 motivos que transformaram Drake no inimigo público nº 1 do Rock in Rio 2019


43. Cardi B é a primeira rapper mulher a marcar dois hits como Número 1 nas paradas musicais

Julho de 2018 - "I Like It" sobe ao topo das paradas, juntando-se a "Bodak Yellow" naquela esfera sagrada, e fazendo de Cardi B a primeira rapper mulher a conquistar dois Número 1. A auto-descrita "strip-club Mariah Carey" também é a primeira artista feminina desde Lady Gaga a decolar dois sucessos em um álbum de estréia. 

Cardi B disse à Rolling Stone EUAque está determinada a desafiar os inimigos que estão "esperando que eu lance algo ruim": "Isso me fez ficar, tipo, 'Ah, eu tenho que estudar esses outros rappers'", diz ela. “Estude como fazer algo diferente deles. Você conhece todas essas rappers, elas estão falando sobre dinheiro, estão falando sobre carros, então é tipo, o que eu gosto? Eu gosto de brigas!.”

+++ LEIA MAIS: Cardi B entra para o elenco de Velozes e Furiosos 9 ao lado de Vin Diesel


44. Drake surge como uma superestrela do streaming

Julho de 2018 - Chegando com um álbum duplo no topo da popularidade do streaming de música, Scorpion, de Drake, cruza um marco tão admirável quanto esperado: o disco se torna o primeiro a atingir 1 bilhão de streams em uma única semana. O músico também é o primeiro artista a atravessar 50 bilhões de streams, de acordo com a própria gravadora. Mas, afinal, o que essas métricas realmente significam?

+++ LEIA MAIS: Pai de Drake diz que rapper mente nas letras das músicas para vender discos


45. A saga policial interminável do rap

Novembro de 2018 - A prisão do rapper do Brooklyn, Tekashi6ix9ine, cuja explosão da cena doméstica do SoundCloud é complicada pelo suposto envolvimento com gangues, se junta à sentença de Bobby Shmurda e à prisão de Meek Mill como mais um confronto de alto nível entre músicos e a lei.

No entanto, como o rap se mantém firme como o gênero musical mais popular da América, as disputas parecem estar apenas ganhando força. (Em 2019, a Rolling Loud removerá cinco rappers do lineup depois de receber uma nota sobre "preocupações de segurança pública" da polícia de Nova York, e Donald Trump avaliará a detenção de A$AP Rocky na Suécia.)

+++ LEIA MAIS: Tekashi 6ix9ine confirma que encomendou a morte de rapper rival por 20 mil dólares


46. Tik Tok não é moda

Janeiro de 2019 - Com 1 bilhão de downloads do aplicativo em 2018, o Tik Tokprova ser mais do que um pontinho no radar para a indústria da música. Para termos noção, o Instagram recebeu apenas metade do número de downloads no mesmo ano.

O aplicativo social no qual os usuários gravam vídeos de 15 segundos com música é grande o suficiente para que todos, desde artistas amadores à grandes gravadoras, decifrem o código. 

Enquanto outras plataformas exigem que a popularidade seja construída por métricas como a contagem de seguidores e a proporção de compartilhamentos, o algoritmo do Tik Tok, voltado para novas descobertas rápidas, faz com que "se você pode se tornar famoso facilmente, você fará isso", diz um usuário do Tik Tokà Rolling Stone EUA.

+++ LEIA MAIS: Hit de Lil Nas X, Old Town Road é a primeira música de 2019 a ganhar o certificado de diamante


47. Um desenho animado (doo doo doo dooo) reúne a América do Norte

Ao longo de 2019 - Ninguém sabe ao certo de onde vem a versão original de “Baby Shark”, mas a marca educacional sul-coreana Pinkfong consegue transformá-la em um pote de ouro, e um karaokê para todas as idades. A música voltará a ser viral quando se tornar, de todas as coisas, o grito de guerra do time de beisebol do Washington Nationals.

Além disso, um concerto inspirado na faixa fará uma turnê ao vivo, o que provavelmente significa que ele rivalizará com o tamanho da franquia Star Wars até o final de 2020.

+++ LEIA MAIS: Elenco e diretor de Star Wars: A Ascensão Skywalker participará da CCXP 2019 no Brasil


48. Old Town Road se encaixa onde?

Março de 2019 - "Old Town Road", de Lil Nas X, é o equilíbrio perfeito entre a sensação de vídeo viral e o sucesso do rádio em dias ensolarados - se apenas a indústria da música se decidir a qual gênero a música pertence. 

A remoção (temporária) da música da parada country da Billboard apenas alimenta a ascensão insanamente rápida ao topo. E, um remix inteligente de Billy Ray Cyrus é tudo o que se precisa para iniciar uma discussão global sobre a questão de gêneros e se eles realmente importam.

+++ LEIA MAIS: Lil Nas X: Por dentro da ascensão do caubói do hip-hop


49. O BTS explodiu o Good Morning America'

Maio de 2019 - Para quem ainda duvida que o K-pop realmente tenha uma presença nos EUA, valos lá: o BTS é escolhido como atração para lançar a série de concertos de verão do programa de televisão Good Morning America - um espaço que todo aspirante a pop dos Estados Unidos mataria para estar. 

Além de ser o primeiro grupo coreano a ter uma turnê esgotada nos EUA, o BTS também participou do Saturday Night Live, do The Late Show com Stephen Colbert e da programação do Billboard Music Awards

Elias Leight, da Rolling Stone EUA diz: “Como as grandes gravadoras abandonaram o desenvolvimento dos artistas em favor de amplificar atos que já estão agitados, o BTS e outros grupos de K-Pop com a mesma visão têm uma via aberta. Enquanto tocam com o som e acrobacias de um R&B de grande orçamento e pop de 20 anos atrás, eles podem ter certeza de que poucos artistas americanos tentarão competir com eles”.

+++ LEIA MAIS: Por que é injusto que o BTS não tenha sido nomeado a nenhum Grammy?


50. Quem é o dono da Taylor Swift?

Julho de 2019 até o momento - A resposta: ela mesma, não importa o que qualquer documento ou contrato legal diga. 

Taylor primeiro alega que não foi consultada sobre a venda das próprias gravações à Scooter Braun; meses depois, ela acusa Braun e o ex-chefe da gravadora, Scott Borchetta, de prendê-la em termos injustos. 

Enquanto Braun e Borchetta contestam veementemente as reivindicações, os fatos da situação podem não importar. Isso porque Taylor está usando todas as ferramentas que tem - incluindo implorar diretamente a uma fanática base de fãs por ajuda - para se estabelecer como uma artista que dá as próprias cartadas. Se existe algum tipo de energia ideal para entrar na nova década, essa é ela.

+++ LEIA MAIS: Taylor Swift abre o jogo sobre sexismo na indústria cultural